Esta matéria serve para todos os profissionais que prestam serviços. Sejam contadores, advogados, médicos, empreiteiros, ou qualquer outra atividade que receba pagamentos decorrentes da prestação de serviços.

Determinar preços não é uma matéria aleatória, do tipo ‘cobro quanto o cliente pode pagar’ ou ‘vou cobrar mais barato para não perder o serviço’. Determinar preços envolve cálculos para que você não tenha prejuízos. A grande dúvida é quanto cobrar? Afinal a ideia de que os serviços não tem custos fixos ou mesmo de que estes custos são baixos está totalmente errada e estipulando um preço incorreto, certamente você terá prejuízo.

Abaixo reproduzimos matéria publicada pelo SEBRAE que pode ser acessada na íntegra através do link no final do artigo.

Custos e preço de venda na prestação de serviços.

Terminologia utilizada na área de Custos:

  • Custos Fixos – São todos os gastos que não variam em função dos volumes produzidos;
  • Custos Variáveis – São gastos que variam proporcionalmente aos volumes produzidos.
  • Custos Diretos – São gastos que podem ser apropriados diretamente ao produto ou ao serviço.
  • Custos Indiretos – São gastos que para serem incorporados aos produtos ou aos serviços utilizam um critério de rateio, também são chamados de despesas (por não terem ligação direta com a produção).

O preço de venda ideal é aquela que cobre todos os custos e despesas e ainda sobre o lucro, deve ser competitivo e na medida do possível ser melhor que o da concorrência, deve permitir a manutenção do cliente e a expansão das vendas.

A empresa de serviços não pratica atos do comércio, isto é, não compra nem vende mercadorias, e muito menos pratica operações caracterizadas como industriais. Quando o preço dos serviços inclui o material a ser gasto, mesmo assim, podemos dizer que o prestador de serviço não está vendendo o material, este é, apenas, custo dos serviços prestados.

Para facilitar o entendimento da apuração do preço de venda na prestação de serviços, vamos considerar que a empresa é uma oficina mecânica, e está efetuando um serviço de pintura em uma porta e um pára-lama de um automóvel, e que o serviço será executado em 08 horas.

Passo a passo

1º Passo – Cálculo da Mão de Obra Direta

Vamos considerar que a empresa possui 2 empregados e custo total da folha de pagamento seja de R$ 1.500,00 assim, para calcular o custo da hora do empregado na prestação do serviço vamos aplicar a seguinte fórmula:

Custo da Hora = Valor dos Salários + Encargos Sociais

N.º de empregados x 160 horas

Valor bruto da folha de pagamento com 2 empregados: R$ 1.500,00;

Encargos Sociais (60%): R$ 900,00 (recomendamos consultar o seu Contador a respeito da incidência dos encargos sociais/trabalhistas).

Cálculo:

Custo da Hora = 1.500,00 + 900,00

3 x 160

Custo da Hora = 2.400,00

480

Custo da Hora = R$ 5,00

2ª Passo – Cálculo dos Materiais Diretos

No nosso exemplo é uma lavagem de carro que vai aplicar no serviço 300 litros de água  e  uma lata de cera, é   que os preços desses materiais são de R$ 20,00/litro de R$ 9/unidade e flanela R$ 5,00 respectivamente, assim o custo do material é de:

  • Água: R$ 12,00
  • Cera: 8,00
  • flanela 3,00
  • total: R$ 23,00

3ª Passo – Cálculo do Custo Unitário do Serviço

Custo Unitário = custo da mão-de-obra direta + custo do material

Custo Unitário = (R$ 5,00 x 8 horas) + R$ 23,00

Custo Unitário = R$ 63,00

4ª Passo – Custo fixos

No nosso exemplo vamos considerar que a empresa possui um custo fixo médio nos últimos 6 meses de R$ 2.000,00, incluso nesse valor as despesas com aluguel, pró-labore, telefone, água, material de limpeza, depreciação, lanches entre outros. Vamos considerar também que o a receita bruta média dos últimos 6 meses foi de R$ 16.000,00.

Assim, deveremos apurar a relação entre o custo fixo médio e a receita bruta média, utilizando a seguinte fórmula:

CF% = (CFM / RBM) x 100,

onde:  CF% = percentual do custo fixo em relação a receita bruta;

CFM = custo fixo médio;

RBM = receita bruta média

Logo temos:

CF% = (R$ 2.000,00 / R$ 16.000,00) x 100

CF% = 12,50%

Conforme apurado, a taxa do custo fixo médio em relação à receita bruta média é de 12,50%, isso, significa que cada mercadoria vendida deverá suportar com 12,50% dos custos fixos, através de suas vendas.

5º Passo – Custo Variáveis de Venda

Os custos variáveis de venda são os descritos no quadro abaixo, totalizando 10,93%.

ISSQN 5,00%
PIS 0,65%
COFINS 3,00%
CONTRIBUIÇÃO SOCIAL 1,08%
IRPJ (Lucro Presumido) 1,20%
Soma 10,93%

 

Nota: Consulte seu contador a respeito dos tributos incidentes na sua empresa, pois existem várias foram de tributação.

6º Passo – Definição da Margem de Lucro

A Margem de Lucro – ML , é o lucro esperado pelo empresário, após pago todos os custos. Para fixação da margem de lucro a empresa deverá ficar atenta, e verificar além dos seus custos também o preço praticado pelo mercado. No nosso exemplo considerar que a margem lucro é de 15%.

7º Passo – Cálculo da Taxa de Marcação

Agora já temos todos os elementos para calcular o preço de venda da mercadoria, assim, vamos encontra a Taxa de Marcação – TM.

A Taxa de Marcação é o fator que vai definir o preço de venda do serviço, para calcular vamos utilizar a seguinte fórmula:

TM =     ______      100________

100 – (CF% + CVV + ML)

TM =  ___            100_________

100 – (12,50 + 10,93 + 15,00)

TM = ____100______

100 – 38,43

TM = _100_

61,57

TM = 1,62

8º Passo – Cálculo do Preço de Venda

Encontrada a Taxa de Marcação de 1,62, agora vamos calcular o preço de venda das mercadorias aplicando a fórmula: PV = CUT x TM, onde: CUT =  custo de unitário do serviço e TM = taxa de marcação.

Assim, temos:

PV = R$ 63 x 1,62 = R$ 102,06

Desta forma, para executar o serviço de pintura na porta e no pára-lama do automóvel o preço é de R$ R$ 102,06

É suma importância conhecer todos os elementos, as ferramentas e as estruturas de custos e preço de venda, notadamente num momento que o mercado é quem estabelece o valor que está disposto a pagar pela aquisição dos serviços. É importante também verificar o regime tributário adotado na empresa para cálculo das alíquotas dos impostos e contribuições, assim, é recomendável consultar o contador da empresa para obter esses dados de forma mais detalhada.

Destacamos que a prioridade máxima na realização da venda é o convencimento de seu cliente, pois é ele quem determinará se realmente o seu preço é justo, por isso, além de calcular o preço de venda de forma correta gerando lucros para empresa, é necessário verificar o preço praticado pelos concorrentes.
Fonte: Sebrae

Agora que você já sabe quanto cobrar recomendamos que CLIQUE AQUI e conheça o software PRESTADOR DE SERVIÇOS. Através dele você terá um controle total dos orçamentos e OS dos serviços prestados.
Faça um teste agora. É Grátis.

servico_2

Caso tenha algum assunto de seu interesse que ainda não publicamos, é só deixar um comentário.

ControleNaNet
www.controlenanet.com.br
contato@controlenanet.com.br